Skip to Content

9 de junho de 2011

Equine Assisted Growth and Learning Association (EAGALA) facilita a utilização da equoterapia para ajudar vítimas de tráfico de crianças, traumas e outros problemas


EXPANSÃO GLOBAL PARA 38 PAÍSES INCLUINDO ISRAEL, COLÔMBIA, MÉXICO, ESLOVÊNIA, BRASIL E CHILE ATENDE NECESSIDADES DAS POPULAÇÕES
 
SANTAQUIN, Utah, 9 de junho de 2011 /PRNewswire/ -- À medida que a demanda por terapias alternativas crescem no mundo – em parte para atender as necessidades particulares do crescente número de veteranos de volta para casa com traumas relacionados à guerra, em parte por causa de uma carga maior de estresse decorrente da crise econômica mundial e de desastres naturais e, ainda, em parte devido ao aumento do tráfego de seres humanos, de sequestros e de dependências químicas – a Equine Assisted Growth and Learning Association (EAGALA – Associação de Aprendizagem e Desenvolvimento com Auxílio de Equinos) está expandindo sua atuação para 38 países, entre os quais Israel, Colômbia, México, Eslovênia, Brasil e Chile, conforme foi anunciado hoje pela cofundadora e diretora-executiva da organização 501(c)3, sem fins lucrativos, Lynn Thomas. A EAGALA estabeleceu o padrão para a equoterapia, tanto para a psicoterapia com auxilio de equinos (EAP -- equine assisted psychotherapy), quanto para a aprendizagem com auxílio de equinos (EAL -- equine assisted learning) e treinou mais de 8.000 pessoas, em todo o mundo, nessa modalidade experimental, desde sua fundação em 1999.
 
De acordo com a coordenadora regional da associação para a América Latina, psicóloga Annie Ricalde, "A difusão do crime organizado e da pobreza deixou muitas crianças vulneráveis ao tráfico, à dependência de álcool e drogas e ao recrutamento para atividades criminais. Nossos programas se focam nas atividades da EAGALA, que ajudam nossos jovens a entender que têm a força e a opção de escolher um caminho mais produtivo e recuperar suas vidas".
 
Recentemente, a EAGALA realizou seus primeiros treinamentos de certificação em Guatavita, na Colômbia, São Paulo, no Brasil, e Santiago, no Chile. Cada um desses países tem agora grupos formais da rede EAGALA, que dá suporte a membros e programas locais sobre colaboração, aprendizagem e atenção às necessidades, culturas e padrões de suas respectivas regiões. Eles se juntam a outros grupos e programas da rede já em operação na África, América do Norte, Europa, Oriente Médio, América Latina e Australásia.
 
O diretor do Havayot Center (nas proximidades de Jerusalém), Dr. Yoni Yehuda, que é especialista em terapia com o auxílio de animais, declarou: "Em vista do complexo sistema de segurança do estado de Israel, com ataques terroristas constantes, as vítimas precisam de apoio sistemático durante anos, após um evento traumático. A captura de bin Laden e os estados emocionais subsequentes dispararam o trauma em muitos de nossos clientes, alguns dos quais foram vítimas dos ataques às Twin Towers (Torres Gêmeas) na cidade de Nova York. O trabalho da EAGALA foi tão bem-sucedido que unidades de elite da Força Aérea de Israel foram ao centro em busca de ajuda para poder lidar com a perda de amigos em serviço, bem como com o terrorismo que os cerca todos os dias", afirmou.
 
"Por causa de seus tamanhos, sua sensibilidade aguda e seu histórico com humanos, os cavalos têm uma capacidade única, em todo o mundo, de ajudar os clientes a ficarem mais comprometidos com o processo terapêutico", disse Thomas. "O modelo da EAGALA tem uma abordagem focada em solução e centrada no cliente, acreditando que os próprios clientes encontram a melhor solução para eles mesmos, quando lhes é dada a oportunidade de descobri-las. Complementado pela natureza não verbal e pelo lado atrativo dos cavalos, nosso modelo se expandiu globalmente, transpondo culturas e idiomas, ao enfrentar problemas inerentes a cada população", ela acrescentou.
 
A equoterapia, de acordo com um número crescente de profissionais da saúde mental, pode ser significativamente mais produtiva do que a terapia conversacional. Segundo um relatório da RAND (abril de 2008), quase 20 por cento dos militares das forças armadas, que retornaram do Iraque e do Afeganistão – 300 mil, no todo – relataram sintomas de transtorno de estresse pós-traumático ou de depressão séria, embora apenas um pouco mais da metade deles tenham buscado tratamento. "Os cavalos são os melhores terapeutas para muitos veteranos, porque muitos deles não querem se submeter à terapia conversacional", disse a terapeuta da Califórnia Julie Giove Sardonia, MA, LMFT. "A cura acontece na natureza, especialmente para os militares. Sessões com cavalos, ao contrário da tradicional terapia conversacional, causam maior impacto e encurtam o tempo de tratamento. O relacionamento de um soldado com um cavalo pode proporcionar percepções emocionais de autoconhecimento", concluiu.
 
"Realizamos algumas sessões da EAGALA EAP com nossos veteranos, incluindo uma série de oficinas com foco em recursos de superação, capacidade de recuperação e controle da raiva. Em geral, os veteranos participantes me disseram que nunca tiveram uma sessão de grupo ou individual tão útil e proveitosa para suas vidas e que, enfim, renovaram suas esperanças. Depois dessas oficinas, muitos refletem, frequentemente, sobre as experiências e as habilidades que adquiriram, aplicando-as, então, em suas vidas cotidianas", disse a representante da AFGE Local 3306 (American Federation of Government Employees Local 3306 – Federação Americana de Funcionários Públicos), Susan T. Lisi, no VA Medical Center (centro médico para veteranos de guerra) em Canandaigua, Nova York.
 
O conhecido consultor educacional Douglas Bodin considera a equoterapia uma opção importante, quando se elabora os planos de tratamento, e ele a tem utilizado em casos que envolvem reintegração familiar, questões de comunicação e de limites, além de trauma. Ao lembrar o caso de estupro de uma mulher de 23 anos, que foi encaminhada a um programa de tratamento da EAGALA, ele contou: "Ganhamos mais percepções internas em dois dias com equoterapia do que observamos durante anos da terapia tradicional a que ela se submeteu. Quando confrontados com casos complexos e desafiadores, todos os nossos consultores procuram considerar e integrar essa modalidade de terapia. Não é uma 'pílula mágica', mas ela pode exercer um papel muito poderoso", afirmou.
 
Ao contrário da equitação para fins terapêuticos, em que um cliente monta em um cavalo, as sessões da EAGALA são realizadas no solo, são conduzidas por um profissional de saúde mental e um especialista em cavalos e são focadas em soluções e baseadas em um código de ética. Os Modelos EAP e EAL da EAGALA podem ser usados de forma auxiliar ou alternativa à terapia conversacional. Os cavalos, com frequência, quebram as barreiras que, em métodos mais tradicionais, podem paralisar indivíduos, casais, famílias e grupos. Profissionais certificados trabalham com um amplo espectro de questões comportamentais e de saúde mental, bem como com metas de aprendizado, incluindo TDAH (transtorno do déficit de atenção com hiperatividade), autismo, depressão, dependência química, distúrbio alimentar, terapia de casais, controle do estresse, reincidência, grupo de trabalho, abuso sexual, capacidade de liderança e distúrbios relacionados a traumas.
 
"Desde 2005, a orientação psicológica com auxílio de equinos vem sendo usada, cada vez mais, em uma variedade de programas de Hazelden. Nossa parceria com profissionais certificados pela EAGALA da Acres For Life, Inc. incorporou experiências e aprendizados baseados em recuperação, que têm ajudado diretamente os pacientes a identificar e começar a enfrentar questões de recuperação, mais rapidamente do que pode ser conseguido com o uso da orientação psicológica tradicional apenas", declarou a administradora do departamento de Bem Estar e Serviços Relacionados de Hazelden, um dos maiores e mais respeitados centros sem fins lucrativos do mundo para o tratamento de dependência de álcool e drogas, Patti Hall.
 
Os clientes podem, por exemplo, ser encarregados da tarefa de ajudar um cavalo a atravessar um obstáculo. Em vez de simplesmente falar sobre seus problemas ou de serem levados a soluções, o cliente trabalha com o animal para encontrar soluções. O cavalo atua como um professor e destrava o cliente. O animal facilita rompimento de barreiras emocionais e o efeito, segundo relato de terapeutas, pode ser mágico
 
Como diz a diretora clínica do centro de tratamento domiciliar Falcon Ridge Ranch, Carolle A. Bell, Ph.D., LCSW, "O Modelo da EAGALA ajuda nossas adolescentes a desenvolver confiança, melhorar suas autoimagens e desenvolver uma autovalorizarão autêntica, à medida que estabelecem limites apropriados e constroem relacionamentos positivos".
 
Ou, como relatou um veterano da Guerra do Iraque, "Ver como os cavalos reagem de uma forma diferente a cada um de nós me ajudou a me aproximar de milha mulher. Isso fez nossa família ficar mais unida do que nunca", declarou.
 
Por que a EAGALA?
 
A EAGALA é uma organização 501(c)3 sem fins lucrativos, criada em 1999 para atender necessidades de recursos, educação e profissionalismo nos campos da Psicoterapia com Auxílio de Equinos e Aprendizagem com Auxílio de Equinos. A associação estabeleceu o padrão para a excelência profissional na forma em que cavalos e humanos trabalham juntos para melhorar a qualidade de vida e a saúde mental de indivíduos, famílias e grupos em todo o mundo. Em parceria com a Thoroughbred Retirement Foundation (TRF), a EAGALA proporciona uma oportunidade para uma segunda atividade para cavalos afastados das corridas. A EAGALA tem mais de 3.500 membros em 38 países e continua a crescer. Clique em http://eagala.org/Global para conferir a lista completa de países.
 
Para mais informações sobre a EAGALA visite o site www.eagala.org.
 
CONTATOS: Hayley Sumner, Comunicações Corporativas com certificação da EAGALA, hayley@eagala.org, 310-488-9777
 
FONTE Equine Assisted Growth and Learning Association (EAGALA)